quinta-feira, 20 de julho de 2017

quinta-feira, julho 20, 2017

Pelos caminhos de Brasília, ao estilo JK!


ComSalto&Asas gosta mesmo de vivenciar momentos intensos e recomendar essas experiências, destacando o que se tem de melhor em qualquer lugar. Em Brasília não seria diferente. Esse lugar é mágico, acolhedor, livre e cheio de gente bacana que olha “prá frente”! Uma cidade com o pé no futuro e outro no passado, cujo presente é de anseios e esperanças. É desbravador caminhar pela cidade rememorando uma breve e impactante história que alguns dizem ter sido um surto psicótico e outros dizem ser a realização de um sonho de um homem, cuja vida foi rodeada de mistérios, histórias, determinação: JK!
Dizem que o olhar dele passeava pela cidade antes mesmo de começar a ser levantada. Dizem que ele tem reencarnações egípcias. Alguns falam dele com saudosismo e outros com coragem. Mas, quem foi JK?

JK, o homem e o sonho

Juscelino Kubitschek tinha convicção que a nova Capital era uma realidade. Em seus discursos ele tinha o dom da oratória e do convencimento que transportava pessoas para muito além da simples realidade, mostrando a cidade que ainda não existia. Me pergunto se essa habilidade de transformar o imaginário tem uma influência de sua origem, pois dizem que JK era descendente de ciganos. Seu bisavô materno (tcheco cigano) desembarcou no Brasil em 1830. E os ciganos passaram pela história como um povo artístico, criativo, livre e sempre inovando e mesclando culturas. Então quando eu vejo em Brasília uma mescla de culturas, um grande acampamento e um sonho, penso que JK tinha muito dos ciganos. Tinha porte altivo e um olhar penetrante de quem sabe para onde está indo, sempre olhando “prá frente”.
Caminhando pelo sonho a gente encontra um pedacinho dele em cada lugar, numa cidade controversa que, mal saindo da puberdade, assume ares de maturidade precocemente.

O Planalto e a deserto – a esperança
Hoje, o que lembramos com nostalgia e orgulho, foi cenário de muitas lágrimas, saudades e esperanças. Quem veio para cá na época da construção deixou um passado bem longe e rompeu com sua história, mas personificou suas lembranças numa nova cultura reconstruindo uma nova vida. A beleza enaltecida do nosso cerrado, as peculiaridades do clima, a terra que parecia suja (de tão vermelha), tornaram-se nossa marca registrada. Nosso sotaque tem de tudo. Hoje, de um cerrado hostil, nasceu e cresceu uma cidade que oferece muito mais pelo qual foi concebida.

E os Candangos....
De onde vem essa menção? Pode ser de origem do Nordeste, para se referir um grupo de pessoas de categoria social mais modesta, porém, aqui em Brasília, essa palavra era associada às pessoas que estavam diretamente envolvidos com a construção da cidade, homens que se lançaram ao quase impossível sonho de JK, independente de classe social. Simboliza nosso pioneiro, desbravador, o homem de coragem e ousadia construtor da nova capital.  E foi gente de tudo que é lado desse país. Veio gente de tudo que é jeito. E nesse grande acampamento de sonhos, os candangos deram a personalidade mesclada de Brasília.

O Planalto, os Candangos, o estilo JK:  a bordo de um Galaxie Landau
Imaginem-se entrar nesse sonho de JK com todo glamour e estilo de uma época (anos 60/70), a nostalgia e memórias de revoluções sociais e culturais.  Imaginem-se serem conduzidos por um brasilense “bem brasiliense” contando cada detalhe e curiosidade da história e de seus caminhos e ainda a bordo do mais elegante carro que foi a “vedete” dessa época?  Sim, juntando Juan Luis Hermida e o Landau do Dílson para você conhecer e percorrer a cidade como nosso JK fazia, ao seu estilo.
Juan Luis Hermida, nosso brasiliense nato porque escolheu de coração aqui viver! Uruguaio, radicado na cidade há 20 anos, é guia certificado de turismo regional, nacional e da América do Sul, e também um grande jornalista. Conhecedor dos locais mais interessantes para se visitar em Brasília, sabe cada pedacinho e detalhes da arquitetura e da história da capital. E o Galaxie Landau tem uma relação muito afetiva com Brasília e com a história do Brasil. Fabricado em 1967, tornou-se o queridinho das autoridades políticas e homens de negócios. JK saía pela cidade a bordo do seu Galaxie Landau. E você pode sair de Landau é tornar-se um personagem dos anos 70, cujos olhos passeiam por um sonho. A história que você vai conhecer, será única, pois deslizar pelas ruas de Brasília é uma experiência guardada no tempo e que deve ser desfrutada com todos os sentidos.
Eu, que vim para cá ainda no começo da história de Brasília, vi transformações que superaram ao planejamento original. Vi uma sociedade nascer e uma cultura de culturas se espalhar por todos os lados. Quem me dera ter tido a felicidade de conhecer JK e viajar no se sonho.
E como programar-se para essa viagem aos anos 70, pelos caminhos de Brasília, ao estilo JK?

O Visite Brasília oferece esse serviço único, acesse www.visitebrasilia.com.br  
Para agendar seu roteiro
Square:
SHN Quadra 5 Bloco D Hotel Athos Bulcão,
Telefone: (61) 3241-3623  ou pelo mail estilojk@visitebrasilia.com.br

sexta-feira, 28 de abril de 2017

sexta-feira, abril 28, 2017

BUSCANDO AS ORIGENS - ESPANHA E MARROCOS

Encontros de ideias multiplicam sonhos e quando acontecem muitos ganham!!!
Os registros do ComSalto&Asas viraram inspiração para que a Anthares Turismo e a Turpax Operadora  idealizassem um roteiro maravilhoso pelo Sul da Espanha e Marrocos, inspirado na busca das origens. Esse roteiro foi planejado para pessoas que amam não somente viajar, mas vivenciar a história, riquezas e peculiaridades de cada lugar.
E para nos levar a esse mundo tão exótico e cheio de culturas, a Turpax convidou a grande bailaora flamenca LaNegra Ana Medeiros. Imagine entrar num mundo onde os árabes, judeus e ciganos se encontraram e se mesclaram, fazendo de suas histórias uma cultura tão cheia de emoção, chamada Flamenco. E quem vai contar tudo isso durante a viagem é a La Negra Ana Medeiros. Não perca essa oportunidade de vivenciar o que o ComSalto&Asas te contou. A Turpax, Anthares e La Negra Ana Medeiros te esperam. 
Viajar é mais do que cruzar oceanos, ares, terras....
"Viajar é ir encontrar raízes, origens e riquezas d’alma em cada parte do mundo.
A Anthares Turismo e Turpax Operadora levam você a esse encontro inesquecível.
Seremos conduzidos pelo tempo às terras onde os árabes, judeus, cristãos e ciganos se encontraram e se mesclaram. E dessa grande miscigenação, nasceu uma cultura e uma forma de viver, floresceu o flamenco, Patrimônio imaterial da humanidade e que hoje pertence ao mundo.
Teremos a preciosa companhia da grande bailaora, artista e professora de flamenco La Negra Ana Medeiros,  para nos conduzir a cada pedaço da história e dessa viagem cheia de emoções.  Começaremos na Andaluzia e voltaremos no tempo, até a África Mãe, onde nossa história começou a ser contada. Nós que somos a mistura mais pura do negro com todas as raças, religiões e culturas, seguiremos a rota de retorno pelo Gilbratar até o Marrocos. Percorreremos o sul da Espanha e o Norte da África, refazendo as origens e a mescla de povos tão distintos e que se espalharam pelo mundo: árabes, ciganos, judeus e andaluz.
Vem com a gente! Vem conhecer esse mundo contado de tantas formas, mas com a Anthares, você pode vivenciá-lo!"
Quer saber mais sobre o roteiro?
Acesse :   TURPAX Operadora


sexta-feira, 24 de março de 2017

sexta-feira, março 24, 2017

São Jorge – Nossa Chapada dos Veadeiros – Alto Paraíso – GO

“Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.”
É São Jorge, nossa Chapada, meu povo!!
Um refúgio paraíso pertinho de casa (aproximadamente 220km de Brasilia), privilégio de quem mora no centro do país e para quem é de Brasília que pode levar os amigos turistas para um salto dentro do sol, dentro do cerrado: São Jorge, a vila,  e a Chapada dos Veadeiros!!!
Coisa antiga....muito antiga...que estima-se ter se formado há 1 bilhão e 800 milhões de anos. Considerada o ponto de maior luminosidade visto da órbita da Terra, segundo a NASA (fonte: internet/Wikkipedia).

Esplendorosa! Sim...a nossa Chapada (que abrange São João d'Aliança, Alto Paraíso de Goiás, Colinas do Sul, Teresina de Goiás e Cavalcante) é um cerrado a perder de vista com atrativos rústicos e naturais. O visitante tem que gostar da natureza crua, das árvores tortas, da vegetação agressiva, do vento quente da seca do cerrado, do silêncio que arde.
Há 20 anos a visito. Minha parada é na Vila São Jorge (Alto Paraíso), onde está Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Tem hospedagem para todos os gostos: sozinha, casais, amigos, família....cada pousada com seu encanto. Gosto de ir na época da seca, pois na época das chuvas algumas trilhas são proibidas. As noites na Vila São Jorge têm suas surpresas. Pode-se desfrutar dos restaurantes locais (muitos com uma musiquinha de MPB) ou acertar o sábado que terá o Forró no Cavaleiro de Jorge e se esbaldar com os nativos que sempre recebem com carinho cada visitante, além dos eventos programados: Festival de Inverno, Encontro de Culturas, Dia de São Jorge, etc....
Ir São Jorge é se despir dos padrões: esqueça completamente a “beaute”. Leve o mínimo possível e se surpreenda como a natureza embeleza. Os dias podem ser muito quentes e as noites sempre frias. Distancie-se do celular, do computador, do trabalho....só se vive a Chapada se esquecer a rotina da cidade.
Um pouco da história desse paraíso....
Quando ainda não se chamava Alto Paraíso, já era habitada pelos índios Cayapós, Xavantes e Guayazes. Depois chegaram os bandeirantes e escravos fugidos. Abrigou uma fazenda e se tornou um povoado de lavradores pois a exploração de ouro na região atraía muita gente. Com o povoado crescendo, a agricultura (principalmente trigo e café) e a pecuária, a região foi transformada. Assim nasceu Cavalcante (1740) e conta-se que os primeiros grãos de trigo foram trazidos por ciganos (vindos do Egito). Foi nessa fazenda que nasceu Alto Paraíso. O povoado de São Jorge, distrito de Alto Paraíso é a porta de entrada para o Parque nacional da Chapada dos Veadeiros.  A terra, rica em cristais, foi tomada de garimpeiros (após a segunda guerra mundial o cristal era muito procurado para a produção de material bélico) e o solo rico nos cristais é um ponto de convergência enérgica, muito utilizado em pesquisas. Ainda hoje, em algumas trilhas, é possível ver resquícios do cristal no solo. A partir de 1989 o povoado da vila de São Jorge começa a despontar no turismo em decorrência do misticismo e do espiritualismo que se desenvolveu na região. Alto Paraíso também é conhecido por ser um santuário místico, exotérico e espiritualista porque sua localização coincide com o Paralelo 14, que passa em Machu Picchu, no Peru. 

Visite Brasília

Andrea Pires

Blog Com Salto&Asas, um lugar onde compartilho memórias das viagens que mudaram minha vida, mas também inspiro mulheres que queiram experimentar a vida e sua própria companhia! Planejar, Sonhar e Realizar. Assim é que me sinto com o Mundo nas Mãos! Para contato direto comsaltoeasas@gmail.com

Tags

Cadastre seu e-mail